EMSO-PT | - CCMAR -

EMSO-PT

O projeto EMSO-PT - European Multidisciplinary Seafloor and water column Observatory – faz parte do Consórcio Europeu EMSO-ERIC - European Research Infrastructure Consortium - e está integrado no Roteiro Nacional de Infraestruturas de Investigação (RNIE). A participação do CCMAR no EMSO-PT tem como objetivo o estabelecimento de um observatório oceânico permanente na plataforma continental exterior a SW do Cabo de São Vicente, a cerca de 200 m de profundidade. Este observatório corresponde ao “Iberian Margin node”, um dos 8 observatórios e 3 locais de teste que fazem parte do EMSO-ERIC.

 

Figura 1 – Localização dos Observatórios e locais de teste do EMSO-ERIC

 

Como resultado desta iniciativa, o CCMAR pretende promover o conhecimento do funcionamento do oceano ao largo da Europa e avaliar as consequências das alterações climáticas na estrutura da coluna de água e no funcionamento do oceano costeiro, a fim de melhorar a estratégia de mitigação dos efeitos das alterações climáticas. 

O equipamento que irá ser instalado no observatório é da responsabilidade do CCMAR e é composto por dois sistemas: um perfilador vertical que se deslocará ao longo de um cabo vertical por ação da agitação marítima que a cada 30 min regista a temperatura, salinidade, oxigénio dissolvido, turbidez e clorofila e um correntómetro perfilador acústico (ADCP – Acoustic Doppler Current Profiler) montado no fundo do oceano que permite observar as correntes oceânicas ao longo da coluna de água.  O equipamento já foi testado com sucesso ao largo da costa de Olhão, no navio de investigação NI Diplodus do IPMA.

 

Figura 2 – Esquema da estrutura física da responsabilidade do CCMAR a instalar a SW do Cabo de São Vicente. Perfilador oceânico Wirewalker e correntómetro perfilador acústico  (ADCP) montado numa boia de subsuperfície.

 

Este equipamento é o primeiro deste género a ser instalado em Portugal Continental, onde pela primeira vez serão monitorizados em contínuo vários parâmetros oceanográficos ao longo da coluna de água, sobre a plataforma continental. A base de dados a contruir irá permitir avaliar a variabilidade de pequeno e longo período das características do oceano costeiro e relacioná-las com os fatores que estão na sua origem, que  tanto podem ser ações antropogénicas locais ou remotas, como podem ser variações naturais ou devidas às alterações climáticas.  

A instalação desta estrutura na região do Cabo de São Vicente permite monitorar uma das regiões mais sensíveis do oceano costeiro. É nesta região que as águas da costa oeste da Península Ibérica que se escoam para sul encontram as águas da costa sul do Algarve e onde se desenvolvem estruturas oceanográficas com grande impacto no funcionamento do ecossistema. É também a região de maior concentração de tráfego marítimo de Portugal, com relevo para os navios petroleiros.